Diablo 3

Game // Testamos o beta do Diablo 3

Primeira parte de avaliação de Diablo 3 Beta por: Thyago Weber @thyago_dss

E eis que chega o momento que nós, diablo-fanboys, esperamos há anos: a terceira versão da série Diablo! Desde o lançamento do segundo jogo, em 2000, a Blizzard vem adiando essa continuação e só agora, em 2011, é que vamos poder entrar novamente nesse mundo de escuridão total em que o mal primordial está prestes a tomar conta… (de novo). Por que é que demoraram tanto? Dane-se WOW, dane-se Starcraft! Nós queremos é Diablo 3, poha!

Diablo 3 – Black Soulstone Cinematic

Brincadeirinha. Eu também sou fã de World of WarCraft, tendo 2 personagens nível 80 (sim, eu não joguei o Cataclysm ainda. Resolvi viver um pouco a vida real, pra variar… cuidar da mulher, dos cachorros e trabalhar… quando dá.) e uma versão low-level de cada classe, na Horde. Joguei as versões anteriores do StarCraft e vi outros jogando o segundo jogo; Curti bastante. Mas eu sempre tive uma afinidade com a obscuridade que só o Diablo pode oferecer, com todos aqueles bichos do mal e demônios infernais esperando pela minha sagrada justiça. E venho esperando isso desde que fechei o segundo jogo em 2007.

Diablo 3 – The Demon Hunter Trailer

No primeiro contato, fiquei um pouco desconfiado ao ouvir a música orquestrada logo na tela de acesso ao Battle.net. Nada contra, muito pelo contrário, tudo a favor. O problema é quando tudo vira modinha e acabam mudando o que não precisa – nem deve – ser mudado. As músicas de Diablo sempre tiveram todo o tipo de instrumento, desde guitarras até tambores tribais. E isso sempre foi excitante. Por isso, tive medo de o estilo do jogo ter mudado a ponto de tê-lo descaracterizado, assim como vimos acontecer com a série Resident Evil, onde a Capcom, querendo inovar, acabou transformando um Survival Horror (estilo inventado por ela mesma) em um jogo de ação onde os zumbis andam de motocicleta e atiram com metralhadoras giratórias. O som da tela inicial me preocupou, por que, a primeira vista, ficou “World of Warcraft” demais. E o risco disso acontecer era grande, já que o WoW é o carro chefe da empresa. Afinal, uma das coisas que marcam o estilão diablo são as músicas misteriosas com instrumentos de corda que te dizem:

“Bem vindo a um mundo repleto de criaturas infernais. Prepare-se pra se ferrar. E muito”.

Logo após entrar no jogo, as suspeitas foram pelo ralo: lá estava a típica música de cidade inicial, do jeito que todos esperávamos, no melhor estilo “Tristram Theme”! Belos gráficos e personagens interessantes, mesmo aqueles que já conhecíamos, como o Barbarian e Wizard. Havia também personagens novos mas não totalmente inovadores, como o Witch Doctor, que funciona do mesmo jeito que o Necromancer de Diablo II (Invoque suas criaturas e deixe-as fazer o trabalho por você), Monk que você desce a porrada em todo mundo com combos rápidos e precisos. Os golpes encaixam muito bem, fazendo você se sentir um verdadeiro monge Shaolin. E o Demon Hunter que fica com sua besta, soltando flechas e colocando armadilhas no chão (chato). Os gráficos estão muito bons, belas animações de movimento dos personagens, belos efeitos de magia e belos efeitos sonoros (alguns já conhecidos da galera, como o som do tiro de arco e flecha e o som do item antes de cair no chão). Deixaram de lado os gráficos pré-renderizados (já que, hoje, isso não faz mais o menor sentido) e modelaram todo o jogo em 3D, com direito a aproximação de câmera e efeitos de sombra muito mais realistas.

As vozes dos personagens seguem o padrão e estão ótimas.

Diablo III – Monk Trailer

Mas nem tudo é uma maravilha: Os gráficos, apesar de bons, te dão a impressão de desatualizados. Parece que usaram a mesma engine de World of Warcraft, até os modelos estão muito parecidos; E isso se reflete em diversos momentos, como na animação dos personagens e o próprio boneco na tela de escolha de classe.

O modo offline Single Player não existe mais: você se obriga a conectar ao Battle.net para jogar.

Pra alguns, isso representa um grande impacto, pois nem todos os players curtem jogar exclusivamente em modo Multiplayer: querem ter o prazer de jogar sozinhos, simplesmente por se sentirem antissociais naquele momento. A árvore de skills customizada (1 ponto por nível) e a distribuição de atributos manual (5 pontos por nível), não existem mais. Agora o jogador ganha sempre as mesmas skills com o passar do tempo (conforme a classe) e ele decide quais delas utilizará (você só pode usar um número limitado delas in-game, tendo que ir até um altar na cidade ou no início de uma dungeon para modificar isso) e os pontos de atributos são distribuídos automaticamente eles estão divididos em Strength, Dexterity, Vitality e Willpower. O nível de dificuldade está mais leve (tendência crescente nos jogos atuais para agradar jogadores médio casuais). A câmera, apesar de aproximar apertando a tecla “Z”, não tem ângulos muito dramáticos dependendo do momento (ao encontrar um boss, por exemplo).

Outra mudança foi a retirada da barra de stamina agora seu personagem tem uma velocidade de movimentação única e que pode ser alterada através de itens que aumentam a velocidade.

Diablo Retrospective

Apesar disso, o estilão Diablo ainda está lá, intacto. E você vai poder ter a mesma experiência jogando o terceiro jogo da série, com a impressão de que se trata de uma continuação e não um jogo totalmente diferente. Você ainda andará por cenários escuros e repletos de seres do mal; Encontrará, vez por outra, um bicho “especial” e se sentirá o fodão ao acabar com eles (principalmente quando vários deles estiverem te atacando ao mesmo tempo)

Vai se sentir o máximo ao ver o contador de combo explodindo na tela (isso é novo!).

No fim, isso aqui ainda é Diablo, moçada. E deve agradar a todos os fãs desse tipo de jogo, sobretudo a galera que se alucinou com os jogos anteriores. E para quem gosta de dificuldade foi confirmado que existirá o modo hardcore em Diabo III. Mal posso esperar pelo lançamento. “See you in Hell”.

Diablo 3 – Inferno Mode difficulty

 

Segunda parte do review do Beta de Diablo 3 por Marcelo Korjenioski @korjenioski

Action House

As Action Houses serão regionais. Poderá ser vendido quase todos os itens que você adquirir no jogo tirando os de itens de quests e alguns itens vinculados ao personagem. O jogador ira escolher a forma de vende se será em dinheiro real  ou na moeda do jogo (gold). A Blizzard não irá colocar itens na Action House e existe o plano de vender personagens na Action House também.

Itens

Agora quando os itens caem no chão os seus nomes ficam aparecendo durante 5 segundos. No Diablo II quando você segurava ALT os nomes apareciam agora no Diablo 3 quando você aperta ALT eles voltam a aparecer por 5 segundos e o Bau do jogo irá ter um sistema semelhando ao do World of Warcraft onde você poderá comprar slots adicionais para guardar mais itens.

Dyes (Tintas)

As dyes (tintas) podem ser aplicadas em qualquer armadura. Não podem ser aplicado nas armas ou jóias. Foi informado na ultima Blizzcon que alguns dyes só serão encontrados em dificuldades mais altas. Também exitem dyes que servem para remover a ultima cor aplicada ou para tirar a cor dos itens (All-Soap’s Miraculous Dye Remover). No total existem 24 tipos de dyes que podem ser aplicados em qualquer armadura que podem mudar sua cor ou deixar invisível (Vanishing Dye).

Nomes das tintas Abyssal Dye, Aquatic Dye, Autumn Dye, Cardinal Dye, Desert Dye, Elegant Dye, Forester’s Dye, Golden Dye,  Infernal Dye, Lovely Dye, Mariner’s Dye, Pale Dye, Purity Dye, Ranger’s Dye, Rogue’s Dye, Royal Dye, Spring Dye, Summer Dye, Tanner’s Dye, Winter Dye, Dye CE 01, Dye CE 02, Vanishing Dye, All-Soap’s Miraculous Dye Remover.

Maiores detalhes no Guia Oficial de Diablo 3 – falando sobre as tintas

Crafting

A criação de itens esta divida em 3 subcategorias Blacksmith Plans, Jeweler Designs e Mystic Formulas. Para conseguir as matérias primas para criar novos itens você ira usar um item chamado Horadric Cube que irá transformar armas, armaduras anéis e etc nestes materiais.

Foi adicionado a opção treinar os Blacksmiths, Mystics e Jewelers usando o Tome of Training ou coletando 5 Page of Training um pouco de gold e alguma matéria prima. Desta forma você irá liberando mais itens para serem criados.

“Give a man a sword and you can make him a warrior. Teach a man to forge and you can raise an army.” -Griswold

Weapons (Armas)

Você poderá adicionar poderes mágicos nas suas armas assim como no Diablo II através do imbue. As armas podem ser encantadas com Fire, Lightning, Poison, Cold e Arcane.

A lista de armas gerais são: Axe, Bow, Crossbow, Dagger, Fist Weapon, Mace, Polearm, Spear, Staff e Sword.
As especificas por classe são: Barbarian Mighty Weapon, Demon Hunter Hand Crossbow, Monk Daibo, Witch Doctor Ceremonial Knife e Wizard Wand.

Armor (Armaduras)

As armaduras no Diablo 3 mantém o sistema de durabilidade, como no Diablo II as armaduras terão uma aparência diferente para cada classe de personagem, mas sua aparência no inventario ou no chão ira seguir o mesmo padrão para todos. As categorias das armaduras disponíveis para equipar nos personagens são: Helms, Chest, Shoulders, Cloves, Bracers, Belts, Boots, Rings (2 slots) e Amulet (1 slot).

Apenas lembrando que estas informações são do Beta e portando podem mudar quando o jogo for lançado.