Pinball - Origens

Parabólica // Pinball – As Origens [parte 1/2]

Máscara Anti-pó Level+

 

*Nota do autor:

- Faz-se necessário o uso de equipamento especial anti-pó para ler este artigo ! [^^]

 

Bem-vindos ao peculiar mundo do Pinball, onde ‘máquinas de madeira‘ deram aos Gamers Matusaléns muitas alegrias, dores nos dedos, e, no meu caso, as minhas primeiras notas baixas no colégio …

… tenham por base de que o conceito de criação destas máquinas é MUITO anterior ao dos  jogos mecânicos inseridos nas ‘geringonças‘ que conheceríamos muitos anos mais tarde como Computadores e mais além, como Vídeo Games.

Antes de usarmos máscaras e luvas especiais, esclareço:  irei me  referir apenas às máquinas fabricadas no ‘Ocidente’. Também é bom esclarecer que nos Estados Unidos e na maior parte do resto do mundo onde o Inglês é falado, essas máquinas são chamados Pinballs. Nos países de idioma espanhol usa-se o termo “Fichines” ou ”Flipper“.

A designação da palavra “palheta“ foi usada em Inglês referindo-se às barbatanas de certos animais aquáticos e, portanto, a sua similaridade com as ‘lâminas laterais’ que são encontradas nas máquinas.

Iremos abranger desde a ‘fagulha’ do que seria o conceito de sua criação, até os idos de 1999, onde ainda havia\encontrávamos facilmente o que chamo de locais de “resistência“.

Renite, vamos lá…

Origem: “La Bagatelle”

Não há uma data exata com dia e mês em que as máquinas de Pinball surgiram porque, para chegarmos às mínimas similaridades do que conhecemos hoje [ou que conhecemos um dia], passariam-se muitos anos, tecnológicos, ideias e melhorias. Historiadores entram em consenso de que a primeira máquina ‘adaptada’ foi a de um jogo de Gringa francês chamado ‘Bagatelle‘, onde ocorrera uma rara fusão dos jogos de bilhar (pool) e boliche (bowling).
La Bagatelle

A primeira aparição conhecida do jogo é em uma festa em honra do rei francês Luís XIV (1777), que foi realizada no Chateu D’Bagatelle (daí o seu nome). E tal foi o seu sucesso que logo se espalhou por toda a França.

A invenção consistia em uma mesa de bilhar Romana, redimensionada, inclinada e estreita. Era toda feita de madeira de Pinho e colocada em uma leve inclinação. O objetivo:  poder encaixar bolas em certos buracos, utilizando-se de alguns pinos [pregos ?] para desviar o trajeto da esfera, partindo com a bola no centro da mesa e usando um taco semelhante ao de bilhar para impulsioná-la.

E bem, como uma imagem vale mais que mil palavras, então eles jogaram o Bagatelle ! [\o/]

Versão estadunidense da Bagatelle

Primeiras mudanças: Bagatelle americana

Apesar de sua popularidade, muitos Pinheiros mais foram usados e, com o trabalho totalmente rustico feito à mão, com certeza sua criação não foi tão divertida naquela época pois não tínhamos tecnologia para serrar metricamente as peças e nem para automatizar o jogo. E eis que, na América, o jogo evoluiu: o que fizeram foi apenas fixar permanentemente os pinos de madeira na, substituindo pregos de metal para criar as cavidades e colocaram novos obstáculos e buracos onde a bola poderia ir.

O próximo avanço foi a criação de alguma forma de pontuação. Isso foi feito pela adição de um valor para cada buraco, assim os jogadores deveriam mirar nos furos ou pregos, calculando ângulos x impulso x força, para que  assim atingissem tivessem uma maior ao final de 10 bolas usadas. Agora a bola seria colocada em jogo a partir de um canal lateral, que, mais tarde, seria substituído com um grande avanço: o Saca-rolhas ou Shotter [de impulsão].

Acredita-se que a Bagatelle original veio para a América (EUA) trazida por soldados franceses que vieram para ajudar os americanos na Guerra da Independência contra a Inglaterra (1775 e 1783).

Shotter launcher: melhorando o lançador

patente original de "La Bagatelle"

patente original de “La Bagatelle”

Esta melhoria é considerada como um dos primeiros passos da evolução que levou ao que conheceríamos hoje como Pinball, pois todas as máquinas usavam, até o momento, o padrão ‘Bagatelle’, com o impulso sendo feito com um taco de bilhar.

A 30 de maio de 1871, Montague Redgrave registrou uma patente # 115,357 para a sua “melhoria da “Bagatelle” que era o “Shotter” (o lançador de bolas).

Esta não foi uma invenção ‘original’, mesmo tendo sido a 1ª a ser patenteada, pois há dúvidas de que Redgrave tenha sido o primeiro a criar este sistema.

Com a criação do “Launcher“, a sua importância foi tão significativa que está em uso ainda nos dias de hoje. (se você encontrar alguma, claro…)

Ah, e Redgrave quem foi ? Pat Montague Redgrave foi quem criou o sistema que eliminou a necessidade de usar os tacos, substituindo-os por uma espécie de rolo de mola sobre um eixo, parecido com um saca-rolhas. A bola agora usaria definitivamente uma.

Early Pinball Nesta imagem, vemos uma máquina alemã datada de entre 1750 e 1770; esta sendo pelo menos 100 anos anterior ao modelo que Redgrave projetou e testou,  portanto podemos afirmar que o Launcher não foi necessariamente uma idéia sua. Esta máquina inclusive é exposta no Museu Histórico Alemão de Berlim e nos mostra claramente um sistema lançador de bolas inserido na lateral direita e na frente do gabinete.

Após o lançador ter sido inserido na Bagatelle americana, várias mudanças e modelos de mecânicas primitivas ainda estariam por surgir.
Bingo

O jogo chamado Bingo, que, como de costume, era exposto principalmente em bares e tabernas, fez muito sucesso em sua época. E por falar em bares, o primeiro jogo ‘eletrônico’ considerado, o Atari Pong, também foi ‘testado’ comercialmente em um bar. [ê vida !]

Acompanhando a evolução, alguns desses armários foram desde mesas onde se serviam sobremesas até aquelas mesas simples que foram montadas com suas próprias pernas de madeira, inserindo também um vidro na parte de cima da mesa. Estas também eram parentes da ideia do Pinball moderno.

1930/1940 – Os pais do Pinball: nascem Bally e Gottlieb !

Artur Paulin - Whiffle Board

Artur Paulin – Whiffle Board

Raymond Moloney - Ballyhoo

Raymond Moloney – Ballyhoo

David Gottlieeb - BattleBall

David Gottlieeb – BaffeBall

Na virada do século fabricantes fizeram bastante das ‘modernas’ Bagatelas, porém tiveram de esperar até 1930 para cada jogo adquirir um nome próprio! Até o momento, as máquinas eram conhecidas genericamente como Jogo de mármore, Jogo de bingo ou simplesmente Jogos de Pinos.

Whiffle Board

Whiffle Board

 

Assim, em 1931, a Automatic Industries fabricou a sua versão, que tinha as suas próprias fichas e introduziu um título ao jogo: Whiffle Board, sendo Arthur Paulin o seu criador. Agora começaria a ser difundido que, além do nome Pinball, haveria uma ‘versão exclusiva do jogo’ e que esta possuiria regras próprias como a localização dos buracos em diferentes lugares e a estilização ou temática da máquina.

Mais melhorias vieram em 1931, quando David Gottlieb faz a sua primeira máquina, chamando-a de Baffle Ball, que por sinal tornou-se um best-seller. Com custo unitário de U$ 17,50 para os operadores (ou donos do bar) e cobrando uma moeda de 1 centavo, o jogador teria direito a 5 bolas…CINCO ! Antes eram 10 bolas… Bem, graças à época infeliz da Grande Depressão, estas máquinas iriam uma grande fama, sendo vistas como o “entretenimento do povo”, já que, além dos bares, também seriam inseridas em locais como restaurantes e Drogarias. Baffle Ball chegou a vender mais de 50.000 unidades e acabou por colocar Gottlieb como o maior fabricante da época.

Baffle Ball

Baffle Ball

 

 

Em 1932, Raymond Moloney, que era o distribuidor de Gottlieb, acabou ficando frustrado pela dificuldade de se conseguirem novas máquinas para serem revendidas (devido ao sucesso da Baffleball). Ele então, visto que em máquinas eram um excelente negócio, decidiu criar a sua própria empresa: “Lion Manufacturing”, que, mais tarde, seria rebatizada como Bally Manufacturing Co.

 

A primeira máquina produzida pela Bally foi o Ballyhoo que conseguiu vender mais de 50 mil unidades em apenas 7 meses! Com um maior campo de jogo do que o seu concorrente direto (o BaffleBall), rapidamente foi ganhando a preferência do público, dando uma dura luta para Gottlieb.

Ballyhoo

Ballyhoo

Na história do Pinball, esta “batalha” marcou o início do que seriam todas as futuras máquinas. Ballyhoo foi um enorme sucesso, vendendo muito mais de 85.000 unidades e Bally Manufacturing Co. iria se tornar uma indústria líder em seu ramo, especialmente na época que viria das ‘variantes eletrônicas’.

Select your level: Hard, Normal, Easy ou Monkey !

 

 

 

Conforme explicado pelo colega inglês no vídeo a seguir, estas ‘nadadeiras primitivas’ também utilizavam uma moeda que dava direito a uma certa quantidade de bolas (que acabou variando de máquina para máquina). Algumas armadilhas novas, os buracos aberto e as bolas restantes cativavam os jogadores . O objetivo de inserir as bolas nos buracos que davam a maior pontuação, obviamente, era o que requeria um tiro bem mais hábil. E agora, tudo isto seria mecânico, sem o uso de eletricidade ou impulsos com tacos.

Algo que precisa e MUITO ser lembrado é que, em muitas destas máquinas, as pessoas não as escolhiam apenas pela diversão: toda a pontuação obtida no final do jogo resultaria em uma certa quantidade de dinheiro, que seria paga pelo proprietário ou administrador do local da mesa.

 

Harry Williams cria o mecanismo Delator (ou dedo-duro)

Harrry Williams (1932)Em 1932 o jovem Harry Williams, fundador da Williams Co., cria um mecanismo de indicação visual batizado de Delator, que sinalizaria quando o mal-jogador inclinasse à força a máquina apenas para mover o trajeto da bola. [bad player detected!] Sim, muitas pessoas usariam o GAME SHARK já naquela época para ganhar uns trocados a mais. Sendo assim, com o Delator inserido na máquina, os donos do local perceberiam quando que um jogador burlaria as regras e assim não teria o seu o prêmio pago.

Williams criou um verdadeiro upgrade elétrico que seria utilizado em todas as futuras máquinas. O mecanismo consistiria em utilizar uma bola que, se saísse de um funil, faria contato com um anel de metal e este, quando fechasse o contacto, causaria um alarme sonoro como uma antiga campainha metálica, sinalizando assim a violação por parte do jogador, a perda do jogo e também perda total da recompensa em dinheiro. [$$$]

Harry também foi pioneiro no uso de uma bobina primitiva, ou um eletroímã, que era alimentado por uma bateria. Isto permitiria expulsar as bolas metálicas dos buracos de forma automática quando houvesse uma violação.

Quando a eletricidade começou a definitivamente ser usada, este seria mais um grande avanço, porque sem ela as máquinas também não teriam ganho tanta popularidade como jogos de habilidade e destreza. [Afinal, somente quem nunca pensou em inclinar a mesa, só para alterar o curso da bola, que atire a primeira pedra....]

Stool Pigeon Stool Pigeon – Delator

 

O mecanismo é chamado de “delator” referindo-se ao indivíduo que acabava chamando os policiais para nos Estados Unidos ’colocar ordem na casa’. Ele [o mecanismo] consistia de uma bola de metal que repousava em um funil e, quando a mesa era inclinada ou movida,  a esfera saia do funil e indicava a falha.

Por enquanto vamos dar uma pausa na leitura. Dos anos 30 em diante, teremos muito o que mencionar: os avanços elétricos, o nome Flipperama sendo associado à um local de jogos de azar, o que ocorreu depois da 2ª Guerra Mundial, a ‘Febre Eletrônica da era Atari’……e até a pessoa que consideramos o líder da chamada Resistência, por ser o único a ainda fabricar estas’máquinas [^^].

Como se percebe, a capacidade do ser humano em burlar as regras de um jogo vem de muito, muito, tempo atrás… gostaria de ver como é que os donos dos locais faziam para expulsar os maus jogadores. Deveria ser algo bem típico de Fliperamas existentes nos anos 80 e 90 [^^]

Ivan Vockt
Ivan Vockt

- Artigo por