Batman: Arkham City

A vida, os Jogos e tudo mais! // Jogos com adaptações para outras mídias – Parte 2 Livro/HQ

Olá, galera. Dando continuidade ao post anterior dessa coluna, vou pegar alguns casos em que ocorreu o inverso: Livros que viram ou que inspiraram a criação de games. Adaptações de jogos em outras mídias. Sem mais introdução, vamos ao texto.

Se você perdeu o início dessa série de post!

Leia a Parte 1 – Jogos com Adaptações para Outras Mídias

Livro “A Revolta de Atlas”, de Ayn Rand

Era uma das minhas primeiras opções de ser o texto de abertura da minha coluna, mas preferi dar uma agüentada para ver se conseguia falar em outro momento. Esse foi o caminho inverso dos acima citados: O livro veio primeiro, dando idéias para o desenvolvimento de BioShock, pois, pelo que deu para perceber, Rapture seria a sociedade que foi arquitetada durante os três livros da série (que são demais e muito bacanas de se ler). Quem puder embasar mais e me ajudar, ficarei muito feliz.

Libro Ayn Rand, A Revolta de Atlas

Para dar um tom de veracidade, as que eu possuo vou usar imagens fotográficas (aquilo embaixo é o edredom da minha cama)

Jogo Duna

Conheci essa série de livros meio tarde (ano passado ou retrasado), peguei o primeiro livro emprestado para ler e achei muito interessante. Para quem não conhece ou não leu, o livro se passa em um tempo diferente do nosso, contado a história de Paul Atreides, o príncipe da Família Atreides, que estão transferindo sua zona de controle do Planeta Caladan para o Planeta Arrakis, que dá nome a série por ser praticamente um enorme deserto. Lá é o único local aonde a especiaria chamada “Melange” (sim, é esse o nome). O livro é uma mistura de observações: todos os pontos, como Visão Política, Psicológica e Religiosa são destacadas, além de uma enorme trama de governos intergalácticos. O autor, Frank Herbert, publicou o primeiro livro da série, que se chama “Duna” em 1965 e, em 93, foi lançado um jogo baseado na série de livros para Mega Drive, que eu ainda vou jogar. Curiosidade: Meu apelido, Fedaykin, veio exatamente deste livro. Eles são os Comandos da Morte do Messias Muad’Dib.

Livro Duna, Frank Herbert

A capa da nova edição. Eu li a antiga, que eu achei mais bonita.

Adaptações em HQ de Gears of War

Ver tudo que eu vi relacionado a esse game foi um dos fatores que me fez querer um Xbox 360 plugado na minha televisão. Após jogar o um e o dois, dando uma das minhas clássicas passadas em banca de jornal (ainda faço muito isso. Acabo conhecendo coisas novas), me deparei com essa HQ e comprei no ato. A arte dela é incrível, retratando muito bem os brucutus dos Gear e os Locusts, além de contar um pouco mais das história do Fênix e do esquadrão Delta durante o intervalo do primeiro para o segundo game. O roteiro ficou a cargo de alguém que já trabalha com essa parte nos jogos: Joshua Ortega. Os desenhos ficaram para Liam Sharp, que fez um trabalho de respeito e digno da obra. Vale citar que é apenas um dos arcos que foram lançados lá fora; trata-se do arco “Hollow”, onde o esquadrão Delta está procura dos alguns Gears perdidos no entorno de Jacinto (coisa para jogador do primeiro). Caso encontre por ai e se pergunte se vale a pena, eu digo: Compre! (piff. Até parece que sou isso tudo)

Adaptações em HQ, Gears of War

Capa simples, mas que passa a mensagem do que está ali dentro.

Adaptações em HQ de God of War

Não podia faltar quadrinização da história do Deus da Guerra, afinal tudo que uma HQ adulta precisa, o game tem de sobra: Trama bem pensada e complicada, sangue, insinuações pornográficas; enfim, coisas demais. A história foi escrita por um fã das franquias, Marv Wolfman, que fez questão de dar seu nome para esse projeto quando soube que tinha algo relacionado a ele para ser pensado e com a arte de Andreia Sorrentino (não posso falar muito, pois só vi o material de divulgação, mas já deixou com gosto de estar ótimo), a trama rola entre os dois primeiros, porém mexe um pouco no espaço-tempo, mostrando Kratos ainda sendo treinado e quando ele se casou.

HQ, God of War

Só pela capa, já pensei que o Kratos ia sair da HQ e me falar “Compra essa budega senão arranco suas tripas!”

 

HQ do Batman: Arkham City

Uma HQ pensada para ser uma explicação para o ocorrido entre o Arkham Asilum e Arkham City, explicando como Hugo Strange chegou a conclusão da ligação intima entre Bruce Wayne e Batman, de como os vilões e supervilões entraram na City e o porquê de cada um deles. A capa ficou meio “meh!” para mim, achei que eles deram muito mole em não ambientar de uma forma melhor, mas a arte de Carlos D’ Anda, que faz um trabalho incrível com seus belos traços (não só os personagens são bonitos, mas o cenário é muito bem trabalhado) e com o roteiro de Paul Dini, é uma HQ obrigatória para todos que jogaram os dois, pelo fator explicado ali em cima, como sendo uma forma de convencer quem ainda não deu uma chance para esses incríveis jogos.

HQ, Batman: Arkham City

Gostei muito, só achei a capa meio mal feita.

É isso, meus amigos. Acho que a parte de HQs e livros ficam por aqui (ou não, pois sei que ainda faltam outros a tratar). Gostaria do auxílio de vocês, caros amigos, e espero ter ajudado algumas pessoas a comprar livros e/ou HQs. Me avisem se isso ocorreu, beijundas e Até Mais!

levelmais
levelmais

- Artigo por

"A vida é um eterno quick time event, permeado do roteiro, com belas artes ou bons traços"