Games e Livros

A vida, os Jogos e tudo mais! // Jogos com adaptações para outras mídias – Parte 1 Livro/HQ

Olá, gamer. Este artigo é sobre dois mundos que eu me perco e mais amo: Games e Livros. Confira a primeira parte sobre Jogos com adaptações para outras mídias – Parte 1 Livro/HQ.

Há muito tempo atrás, o caminho mais convencional era um livro poder ser adaptado para se tornar um jogo, como foi feito com Duna, assim como algumas HQs virarem referência para a criação de games e desenhos ganharem suas aventuras digitais, como Goof Troop e Mickey. Atualmente, vemos uma mão tripla, pois um jogo pode virar quadrinho, livro ou filme, como um desses pode seguir os mesmos caminhos. Observamos tanto coisas boas surgindo dessa idéia, como tentativas fracassadas (tipo jogos baseados em filmes {existem exceções, eu sei.} ou filmes que tentam se basear no mundo dos jogos). Amo observar isso, pois demonstra que estão levando tanto os HQs como os Games a sério. Vou listar alguns que eu tive contato e outros que conheço, assim como pedirei auxilio para chapas que conheçam melhor do que eu:

Adaptações na Série de livros e quadrinhos “Assassin’s Creed”

Tenho, ao total, 0 horas de gameplay em qualquer jogo dessa série. Tenho muito interesse em jogá-la, mas ele só veio após eu terminar de ler “Assassin’s Creed: Renascença”, o primeiro livro da série, ter visto o trailer do Assassin’s Creed III e ter iniciado a leitura do “Irmandade”, o segundo da série. Tirando algumas traduções meio toscas e desnecessárias, Oliver Bowden fez um ótimo trabalho. Também merece destaque uma série de quadrinhos intitulado “A Queda”, que se passa na Mother Russia no limiar do século 19, com o Assassino Nikolai Orelov. Aparentemente, existe planejado para essa série uma continuação (em HQ também), intitulada “The Chain”;

HQ Assassin's Creed

Só em falta as HQ Assassin’s Creed

Mangás da série de jogos Monster Hunter

Mais uma vez, não tenho muito do que falar do jogo, mas dos mangás posso falar! Desenhado pelo lindo do Hiro Mashima (Sou meio fã louco dele, acho o traço dele muito lindo e acabo tentando devorar tudo que ele desenha), que é um fã da série (é legal ver o material extra e eles discutindo o mangá enquanto jogam) e tentou, com sucesso, transportar aventuras da série e a sensação vivida pelas pessoas durante a aventura. Resolvi pedir ajuda ao meu brother fanboy (de acordo com ele), Wesley Pires.

Olá pessoas, fazendo um pouquinho de ajuda ao mano Fedaykin aqui. E eu falarei um pouco sobre como a franquia Monster Hunter foi muito bem mostrada no mangá de Hiro Mashima, Monster Hunter Orage.

A franquia Monster Hunter sempre se caracterizou na customização do protagonista e na inserção de um mundo “pronto”, onde você interage com os personagens, caça os monstros, produtos a serem usados, entre outros. Porém, para um mangá shonen era necessário a inserção de um personagem carismático e que os leitores iriam se interessar. Papel dado para Shiki. E alem do fator “vamos formar uma party” muito presente no mangá (e algo necessário para se divertir horrores no multiplayer do jogo), o lance dos boatos sobre monstros atacando as redondezas e sobre monstros lendários apenas fazem aumentar a imersão do leitor. Sem contar que os itens presentes no jogo estão sendo usados com frequência no mangá, ou apenas mencionados pelos protagonistas. Sem contar os famosos Omakes, onde a vida de jogatina do próprio autor e de seus assistentes é retratada de maneira hilária. Lá até vimos que o autor é um exímio jogador, pena que às vezes esquece de desenhar para jogar…

A franquia não é bem difundida aqui no ocidente como é no Japão, mas creio que o mangá seja uma boa inserção aos jogadores para o universo de Monster Hunter. Alem de ser uma leitura rápida, pois são 4 volumes apenas. Aliás, se não ligou o nome à pessoa, Hiro Mashima é o criador do mangá Fairy Tail.

HQ Monster Hunter

O Box lançado peloa JBC aqui, em Terras Brasilis.

Pretendia separar a primeira postagem com o caminho de games para livros e HQs, mas, devido a alguns problemas, alguns sairão somente na segunda parte. Comentem, divulguem e adicionem coisas. Caso tenha alguns que eu tenha esquecido, pode se sentir livre para escrever e me enviar. Me avise pelo meu Twitter  ou Facebook Fedaykin, que faço questão de linkar e colocar na próxima parte.

Até Mais.

levelmais
levelmais

- Artigo por