topo

The P!nk Joystick // Entrevista – André Marques “AndMarks” Guitarras e Games

Caros leitores do Level+!

Para vocês que curtem game music  e com o intuito de divulgar iniciativas como esta, apresento-lhes André Marques “AndMarks” (como é conhecido entre a galera gamer) ou AndréSmith (como é conhecido pela banda cover de Iron Maiden da qual ele faz parte),  músico e técnico de informática paulistano de 36 anos que tive o prazer de conhecer, sendo membro e moderadora da comunidade Master System no Orkut. O And concordou em nos ceder uma breve entrevista sobre duas de suas maiores paixões: games e música! Confiram!

Legendas: LS (Luíza Sabchuk); And (André Marques).

Luíza Sabchuk: Com quantos anos você começou a jogar vídeo game? E a tocar algum instrumento?

André Marques: Que eu me recordo, acho que foi com uns 10 anos. E a tocar algum instrumento de verdade aos 12, mas mesmo quando era bem pequeno, aos 4 ou 5 anos de idade, já brincava com um piano de brinquedo,e sempre tinha aqueles violõezinhos de madeira com 4 cordas, que sempre fizeram parte das minhas brincadeiras.

LS: Qual foi seu primeiro console?

And: Atari

LS: Quais consoles que você possui no momento?

And: XBox 360, PlayStation 2,  Sega Saturn,  Master System,  Atari e um Mega Drive que preciso consertar.

LS: Qual é o seu estilo de jogo favorito?

And: Das gerações atuais, curto muito jogos de survivor horror, ação e ultimamente tenho curtido muito o Mortal Kombat 9 (xbox360), que voltou às raízes, tendo como base os três primeiros jogos da série. Também não posso deixar de citar o Guitar Hero, que inovou em alguns conceitos de jogos com músicas, joguei muito no PS2. Já em video games mais antigos, sempre curti jogos de ação como por exemplo: Shinobi, Black Belt, Golden Axe e Kenseiden.

LS: Quais os temas de jogos de vídeo game que você mais curte? E quais os temas que você mais curtiu interpretar?

And: Difícil definir quais temas eu mais curto, mas além do tema ser bom, o jogo também precisa ser legal, pois de nada adianta uma trilha maravilhosa e o jogo ser ruim. Os jogos da série Golden Axe sempre tiveram ótimos temas. O tema que mais curti, na verdade são dois: um que fiz em homenagem à comunidade Master System no Orkut, na qual procurei colocar vários trechos de temas de alguns jogos clássicos do Master System (sem falar que foi muito gratificante prestar essa homenagem à comunidade em geral, e no final do vídeo, lembrar alguns nomes de amigos que ganhei através deste meu hobby), e o outro foi uma versão mais completa que fiz do jogo Black Belt, o tema da tela do Boss, como principal, e umas referências à tela de titulo, tela de game over, tela vermelha.

LS: De onde surgiu a vontade de interpretar temas de vídeo games?

And: Acho que foi algo meio automático, pois comecei a me dedicar mais ao violão e guitarra, mais ou menos na mesma época que ganhei meu Master System, e às vezes mesmo sem perceber,  ficava jogando e ao mesmo tempo prestando atenção nos temas. Isso me acarretou muitas vidas perdidas ao longo do jogo! E quando parava um pouco para tocar,  já tentava tocar algo no violão, e ficava imaginando com poderia ficar os temas dos games em uma versão mais rock n roll. Quando comecei a tocar guitarra de verdade é que eu comecei a estudar mais os temas, mas como não conhecia nada de gravação, e nem tinha como gravar, deixei de lado por um bom tempo, mas continuava jogando.

LS: Você pretende levar para o lado profissional a paixão pela game music?

And: Às vezes penso sim nisso, mas não quero perder esse lado de diversão, pois acho que se ficar muito profissional, vai perder a graça. Já tentei montar banda, mas não consegui, hoje em dia tenho um projeto com o BrunoGuitarDreamer, com quem já fiz uma parceria. Neste projeto pretendemos montar uma banda virtual mesmo, e fazer nossas versões, é algo que me motivou bastante, pois é sempre muito legal interagir com pessoas que também gostam de game music.

LS: Conte-nos alguma situação engraçada que aconteceu contigo jogando vídeo game!

And: Bom, é bem antiga, mas quando jogava alguns jogos do Atari com meus primos e primas, sempre acontecia: a gente ia jogando, e cada vez mais avançando no jogo, todos felizes, e sempre tinha alguém que esbarrava no vídeo game e desligava. Ficávamos meio nervosos na hora, mas depois sempre riamos muito, sem falar as ocasiões que o controle não funcionava direito, quando um jogo era para dois jogadores, e isso acontecia com meu adversário no caso, eu ria muito e lógico, aproveitava para levar vantagem.

LS: Dê um recado para os leitores do Level+!

And: Continuem jogando seus vídeo games, mesmo que algumas pessoas possam ser contra, ou ficarem julgando vocês. Divirtam-se bastante, chamem seus amigos, parentes, reúnam a família para jogar, é sempre bom. Façam o que vocês gostam, acreditem nos seus sonhos e continuem prestigiando o Level+, pois aqui sim existem pessoas que levam o vídeo game a sério, mas sem se esquecer da diversão!

Onde encontrar o AndMarks:

Em tempo, as versões favoritas do And citadas na entrevista são essas:

Homenagem à comunidade Master System

Versão de Black Belt

Lu Sabchuk
Lu Sabchuk

- Artigo por